Linguagem Cinematográfica

A maneira mais simples e segura de fazer isso é primeiro mostrar o personagem que vai “assumir” a câmera, num enquadramento bem fechado, em câmera objetiva, e no plano seguinte posicionar a câmera exatamente onde estariam seus olhos, mostrando as coisas sob seu ponto de vista. O plano que informa o espectador sobre quem é o “dono dos olhos” chama-se de DETERMINANTE . É equivocado negar o caráter artístico de qualquer filme produzido por qualquer produtora. Mesmo as que preferem ver seu cinema mais voltado para as salas de cinema comercial, elas almejam uma discussão artística de seus trabalhos. Isso, pois todo cinema é uma peça estética, elemento básico da configuração de arte.

É qualquer ser humano, animal ou ente inanimado ao qual sejam atribuídas características humanas (prosopopéia), capaz de desempenhar espontaneamente uma ação. Variação gradual ascendente (clímax) ou descendente (anticlímax) na intensidade dramática. Pode ser para frente , para trás , para cima, para baixo, para os lados ou combinado.

Entre os diretores expoentes no uso dessas novas tecnologias, é possível citar George Méliès e Edwin S. Porter. George Méliès é considerado o pai dos efeitos especiais do cinema, entretanto, como está fora do escopo desta pesquisa, nos concentraremos no trabalho de Edwin S. Porter. As produtoras Avante Filmes, Gus Gus Cinema, Tokyo anúncios grátis em sorocaba Filmes e Millimetros são reconhecidas como as produtoras independentes de cinema. Suas estruturas fogem do usual e são formadas, em sua maioria, por jovens realizadores e graduados em faculdades de cinema. Essas produtoras possuem características estruturais, como de se esperar, menos complexas em relação às empresas maiores.

No entanto, esta nunca se deu plenamente como aconteceu com o som e com a cor. Alguns autores, como Doherty , hipotetizam que a estereoscopia está fadada a surgir e a morrer “a cada nova geração de espectadores”, para diverti-los por alguns momentos com a tecnologia e posteriormente cair no ostracismo. Outros autores, como Mendiburu , acreditam que a tecnologia digital vem contribuir com a resolução de problemas técnicos, até então insolúveis da estereoscopia, ao reduzir o desconforto em alguns espectadores. Esse autor reconhece, no entanto, que, independente da melhoria tecnológica, são necessárias experiências cinematográficas relevantes para que os expectadores aceitem o custo diferenciado desse tipo de produto. No início, o cinema, assim como outras formas de arte, não possuía uma linguagem própria bem estruturada. Os filmes eram exibidos ao público como uma novidade tecnológica, ainda sem um propósito definido.

Quais são os elementos da linguagem cinematográfica?

A Linguagem Do Cinema

A “pedagogia do fragmento” (Bergala, 2002, p. 113), portanto, combina frequentemente os méritos da condensação, da renovação e de uma inscrição mais duradoura das imagens na memória. Assim, Bergala defende uma abordagem do cinema a partir do plano, considerado a menor célula viva, animada, dotada de temporalidade, de devir, de ritmo, gozando de autonomia relativa, constitutiva do grande corpo-cinema. Essa nova maneira de encarar a arte na escola possibilita uma nova postura do professor, exigindo dele a disponibilidade de pesquisar, de acompanhar e de colaborar no aprendizado crítico e criativo do estudante, o que frequentemente o coloca diante de situações imprevistas, novas e desconhecidas.

Tenha Uma Propaganda Que Fuja Do Óbvio, Aposte Em Branded Content No Audiovisual!

Foi possível constatar, nesta pesquisa, que no início de sua história o cinema não possuía uma linguagem própria e que parte de seus produtores defendiam a reprodução fiel da realidade, enquanto outros defendiam o seu uso criativo. Ao longo dos anos, novas tecnologias foram introduzidas e alterararam de maneira relevante a linguagem cinematográfica, tornando-se integrantes permantentes desta. No entanto, o fim desse primeiro período da história do cinema foi marcado pelo uso de novas tecnologias que o transformaram em uma ferramenta para contar histórias e que acabaram por dar forma à linguagem cinematográfica que conhecemos hoje.

Cultura digital, produção audiovisual, literatura, arte e comportamento. É essa a pergunta que fiz desde semana passada no TikTok, rede de vídeos rápidos que mais cresce no mundo, no perfil @linhasdeleytura. Aliás, ela ultrapassou em valor o Facebook também na semana passada. Leitura de 1 minuto de trechos de obras seminais em categorias como ficção científica, contos nacionais e criatividade. Para complementar, o site CineMundo fez um guia bem bacana sobre enquadramentos.

Câmeras

Com exceção da Millimetros, de Santa Maria, todas as empresas estão situadas em Porto Alegre. A produtora Otto Desenhos é a única que ocupa seu trabalho exclusivamente para animações. Os proprietários da Prana Filmes, fundada em 2012, são Carlos Gerbase e Luciana Tomasi, ex-sócios proprietários da Casa de Cinema de Porto Alegre. Essas produtoras, embora não componham a totalidade de empresas do ramo, funcionam como uma amostra significativa da população total, pois detém uma produção expressiva no total de filmes produzidos no Rio Grande do Sul. Assim, retomando os elementos estruturais descritos por Hall , pode-se explicar que a complexidade de uma organização é estudada a partir dos conceitos de diferenciação horizontal, diferenciação vertical e dispersão geográfica.

É claro que a Psicanálise e a arte cinematográfica compreendem dispositivos teóricos e técnicos diferentes, "mas nem por isso se deixa de tirar proveito acerca dos fenômenos com os quais seus objetos particulares de estudo se confundem" (Fernandes, 2005, p. 73). Žižek refere que, na sua forma mais pura, a arte cinematográfica nada mais é do que uma projeção dos nossos sonhos. Para Gimenes , no cinema, todas as imagens são grandes metáforas metonimizadas e no sonho flashes metafóricos apontam um descondensar interminável de possibilidade de análises.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.